Especialistas africanos unem forças com a MSD para combater a hepatite

DAKAR, Sénégal, July 23, 2013/African Press Organization (APO)/ — De 20 a 22 de julho, a Initiative Panafricaine de Lutte Contre les Hepatites (IPLH, Iniciativa Pan-africana de Luta contra a Hepatite) realizou a conferência “Consensus De Dakar”, para a região francófona de África em Dakar, no Senegal. Durante a reunião, os especialistas chegaram a um consenso para fomentar a prevenção, sensibilização, investigação e tratamento da hepatite através de planos de ação nacionais nos países participantes. Os especialistas, incluindo médicos, grupos de pacientes e legisladores, formularam um apelo unificado no sentido de moldar uma política eficaz para a hepatite. Entre os países participantes da África francófona estiveram a Argélia, Benim, Burkina Faso, Burundi, Camarões, África Central, Congo, República Democrática do Congo, Costa do Marfim, Gabão, Guiné, Madagáscar, Mali, Marrocos, Mauritânia, Níger, Ruanda, Senegal, Chade, Togo e Tunísia. Este grupo contou também com a participação de representantes da iniciativa em inglês “Hepatitis in Africa – Call for Action” (Hepatite em África – Apelo à ação).

Logo “Hepatitis in Africa – Call for Action”: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/logos/hia.jpg

Logo MSD: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/logos/merck-sharp–dohme-corp.a-subsidiary-of-merck–co.inc..jpg

Hepatite – um fardo para a sociedade

As hepatites B e C estão entre os maiores desafios de doenças infeciosas com impacto nos indivíduos, seus familiares e na sociedade atual. As hepatites virais B e C constituem a principal causa de doença hepática no mundo (1). Trata-se de um problema de particular importância em África, onde um quinto da população é portador de hepatite crónica e a o cancro hepático é a principal causa de morte por cancro nos homens. Com uma incidência nos homens na faixa etária dos 30-45 anos e com uma taxa de mortalidade de praticamente 100%, o impacto económico do cancro hepático e, por conseguinte, da hepatite é enorme (2) (3).

Apesar do impacto económico e de saúde da hepatite viral, as hepatites B e C continuam subdiagnosticadas e subcomunicadas em África. Ao contrário do VIH, com muitos mais recursos disponíveis para o seu tratamento, os fundos para a luta contra a hepatite são limitados e carecem de representação e divulgação entre a comunidade. Como resultado da falta de apoio, as populações mais afetadas pelas hepatites B e C, são normalmente difíceis de alcançar e com laços já muito ténues com a francofonia, e não recebem os serviços necessários.

Especialistas em África unem forças para combater a hepatite

Para ultrapassar estes e outros desafios, a IPLH criou o “Consensus De Dakar”. Esta segunda reunião da IPLH maximizou a experiência no terreno obtida desde a primeira reunião em Dakar em 2011. Para aumentar o impacto destes esforços no continente africano, a IPLH uniu esforços com a Focus Scientific Research Center (FSRC), uma equipa de investigadores liderada por médicos e a MSD, líder global nos cuidados de saúde, que despoletaram uma iniciativa para fomentar o conhecimento sobre a hepatite nos países africanos de língua inglesa. Esta iniciativa, chamada “Hepatitis in Africa – Call for Action”, foi lançada em Lagos, Nigéria, a 18 de junho com a intenção de fomentar o conhecimento sobre a doença entre os intervenientes elevantes na região.

O Professor Aminata Sall Diallo, diretor executivo do “Le Programme National de Lutte contre les Hépatites” (PNLH) e coordenador da IPLH afirmou: “Ao desenvolvermos estratégias para a harmonização de dados, recursos partilhados e ao reunirmos conhecimentos de especialidade em investigação em toda a África, podemos efetivamente avaliar o fardo das hepatites B e C, saber mais sobre os fatores de risco e aumentar os esforços no diagnóstico, tratamento e prevenção. O evento em Dakar definirá o itinerário das ações contra a hepatite com o envolvimento de intervenientes locais, regionais e internacionais.”

Henrik Secher, diretor executivo e vice-presidente da MSD Africa, acrescentou: “Apoiamos os esforços dos governos e dos profissionais de saúde em África para evitar a transmissão e melhorar a deteção da hepatite. O envolvimento da MSD nesta iniciativa faz parte do nosso compromisso em descobrir, desenvolver e proporcionar medicamentos para ajudar a prevenir e tratar a hepatite viral.”

Distributed by the African Press Organization on behalf of Merck Sharp & Dohme Corp., a subsidiary of Merck & Co., Inc.

Contactos para a comunicação social:

MSD

Nome: Dr. Anouar Ben Younes

Diretor de Acesso ao Mercado Africano, MSD

Email: anouar.benyounes@merck.com

N.º de tel.: +41 58 618 2408; Telemóvel: +41 79 193 1998

Bibliografia

1. Mohd Hanafiah K, Groeger J, Flaxman AD, Wiersma ST. Global epidemiology of hepatitis C virus infection: new estimates of age-specific antibody to HCV seroprevalence. Hepatology. 2013 Apr;57(4):1333-42. doi: 10.1002/hep.26141. Epub 2013 Feb 4. AND Mercy Jelagat Karoney, Abraham Mosigisi Siika. Hepatitis C virus (HCV) infection in Africa: a review. The Pan African Medical Journal. 2013;14:44

2. GLOBOCAN Cancer Fact Sheet. GLOBOCAN 2008, International Agency for Research on Cancer. Disponível em: http://globocan.iarc.fr/factsheets/cancers/liver.asp. Acedido a: 16 de junho de 2013.

3. Jemal, A., Bray, F., Forman, D., O’Brien, M., Ferlay, J., Center, M. and Parkin, D. M. (2012), Cancer burden in Africa and opportunities for prevention. Cancer, 118: 4372–4384. doi: 10.1002/cncr.27410

Organizadores:

Acerca da IPLH:

A IPLH foi criada após a Declaração de Dakar sobre a hepatite (julho de 2011). Trata-se de uma iniciativa africana independente e reúne voluntários de vinte países africanos, bem como especialistas voluntários europeus, que atuam coletivamente para darem mais visibilidade às suas ações em cada país e melhorar as práticas da luta contra a hepatite. A abordagem da IPLH baseia-se na atribuição de poderes (capacidade dos intervenientes africanos desenvolverem as suas próprias estratégias), inclusão (envolvendo os Ministérios da Saúde, profissionais de saúde e a sociedade civil), a visão holística (tomando em consideração todos os aspetos da hepatite e tendo uma visão global dos problemas de saúde em África).

Acerca da FSRC:

O Focus Scientific Research Center (FSRC) da phamax AG é um grupo de investigadores liderado por médicos que acreditam que os problemas nos cuidados de saúde nas economias em rápido crescimento só podem ser eficazmente resolvidos através de um esforço combinado entre o setor privado, público e académico. A phamax AG tem sede na Suíça e dependências em Bangalore, Índia e em Singapura.

Acerca da MSD:

Atualmente, a MSD (http://www.msd.com) (conhecida como Merck nos EUA e Canadá) é líder de cuidados de saúde à escala global, que trabalha para o bem estar mundial. MSD é um nome comercial da Merck & Co., Inc. utilizado fora dos EUA, com sede em Whitehouse Station, N.J., E.U.A. Através dos nossos medicamentos com receita médica, vacinas, terapêuticas biológicas e produtos de cuidados do consumidor e saúde animal, trabalhamos com os nossos clientes e operamos em mais de 140 países para oferecermos soluções de saúde inovadoras. Também demonstramos o nosso empenho para com o aumento do acesso a cuidados de saúde através de políticas alargadas, programas e parcerias. Para mais informação, visite http://www.msd.com e ligue-se a nós no Twitter, Facebook e YouTube.

Powered by WPeMatico

Share
This entry was posted in African News. Bookmark the permalink.

Leave a Reply