Líderes Chineses e Africanos Anunciam uma Nova Era de Cooperação na Área da Saúde no Primeiro Encontro Sino-Africano de Ministros da Saúde

BEIJING, China, August 16, 2013/African Press Organization (APO)/ — Hoje, dezenas de ministros da saúde africanos e autoridades chinesas da área da saúde reuniram-se no Fórum Ministerial China-África para o Desenvolvimento da Saúde (http://www.focac.org/en) com o objetivo de planejar novas iniciativas para apoiar a melhoria da saúde na África e definir os rumos da cooperação China-África nesta área. Esse encontro de ministros da saúde foi o primeiro do gênero no âmbito do Fórum de Cooperação China-África (FCCA) desde que ele foi instituído em 2000, demonstrando o compromisso político assumido pelas autoridades de enfrentar conjuntamente os desafios africanos mais urgentes em matéria de saúde.

Logo: http://www.photos.apo-opa.com/plog-content/images/apo/logos/china-africa-forum-logo.jpg

Durante o evento, ministros da saúde e governantes divulgaram a Declaração de Pequim do Fórum Ministerial China-África para o Desenvolvimento da Saúde. O documento define estratégias para atacar, em conjunto, os grandes desafios em saúde na África, o que inclui malária, esquistossomose, HIV/AIDS, saúde reprodutiva, imunização e doenças que podem ser prevenidas através da vacinação. Pela Declaração, a China e os países africanos se esforçarão para estabelecer soluções sustentáveis de longo prazo na área da saúde, tais como o aumento de parcerias em pesquisas conjuntas e a resolução do problema de escassez de profissionais da saúde.

“A China e os países africanos têm estabelecido parcerias fortes e eficazes na área da saúde durante meio século, enraizadas nas experiências comuns e na visão que partilhamos de um futuro mais promissor e saudável para todos os nossos concidadãos”, afirma a excelentíssima ministra da saúde do Senegal Awa Coll-Seck. “A Declaração de Pequim consolida os compromissos dos nossos governos no desenvolvimento e na implementação das estratégias africanas para promover avanços sustentáveis na área da saúde e melhorar a qualidade de vida das pessoas em todo o continente.”

Neste ano, celebra-se o 50º aniversário do primeiro envio de equipes médicas chinesas a países africanos – a Argélia recebeu as equipes em 1963. Desde então, centenas de profissionais de saúde chineses prestaram serviço em 43 países africanos. A China colaborou também com parceiros africanos e organizações internacionais na construção de hospitais e de centros de malária, na formação de profissionais de saúde e no aumento do acesso a tratamentos antimaláricos e a outras tecnologias da saúde. Essas acções foram apoiadas também por instituições acadêmicas e empresas privadas.

Neste momento, a China e os países africanos exploram oportunidades para consolidar esses avanços e contribuir com novos recursos, inovação e liderança para impulsionar os serviços de saúde prestados na África. “Cidadãos chineses e africanos vivem no mesmo planeta, debaixo do mesmo céu. A parceria da China com a África é baseada no humanitarismo. Como o presidente Xi descreveu, esse amor não tem fronteiras”, disse o excelentíssimo Dr. Li Bin, ministro chinês da Comissão Nacional para a Saúde e o Planeamento Familiar. “Acredito que as equipes médicas chinesas se esforçarão para dar uma uma contribuição ainda mais no futuro”

Nesta nova era de colaboração, os governantes chineses e africanos e outras organizações trabalharão em estreita colaboração para identificar soluções sustentáveis para os desafios na área da saúde. A cooperação inclui o reforço da capacidade de recursos humanos nos países africanos, apoio à capacidade produtiva nacional e aumento do acesso a produtos de saúde de baixo custo, mas de elevada qualidade. Pela declaração, a China e países africanos devem envolver ainda mais a iniciativa privada para incentivar a transferência tecnológica e aumentar o acesso a tecnologias de saúde de alta qualidade e de baixo custo, garantindo que os produtos cumpram os padrões de qualidade. A Declaração ressalta que essa cooperação em saúde estará alinhada com as prioridades dos países africanos e com os planos de desenvolvimento nacionais e regionais da África.

Essas iniciativas conjuntas contribuirão para a melhoria da saúde pública da própria China em regiões onde os recusos são limitados. A China vai compartilhar também soluções e conhecimentos na área da saúde adquiridos por meio de investimentos em pesquisa e desenvolvimento e através da produção de tecnologias de saúde. O país deve compartilhar ainda experiências de sua actual reforma da saúde para expandir o acesso à serviços a toda a população.

A China e os países africanos trabalharão também em estreita colaboração com atores estratégicos globais que podem apoiar a cooperação China-África em saúde, incluindo organizações multilaterais, ONGs internacionais e organizações da sociedade civil. Participaram do Fórum, como observadores, representantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), UNAIDS, UNFPA, UNICEF, União Africana, Banco Mundial, Aliança GAVI e o Fundo Mundial de Luta Contra a AIDS, Tuberculose e Malária. Esses parceiros internacionais têm sido cruciais para os progressos já conquistados na área da saúde, tanto pela China como pelos países africanos, e as suas competências e experiências podem contribuir para uma cooperação China-África mais intensa e eficaz.

“As décadas de colaboração entre China e África expressam bem a amizade e a boa vontade que há muito caracterizam as suas relações”, afirma a Dra. Margaret Chan, Directora-Geral da OMS. “A China é actualmente uma força significativa no desenvolvimento da África, com cada vez mais compromissos e acordos assumidos. Este é um modelo de desenvolvimento de cooperação “south-to-south” baseado em respeito e em interesses mútuos.”

O Fórum Ministerial baseia-se em importantes debates que aconteceram em Botsuana durante a 4ª Mesa Redonda de Cooperação International China-África em Matéria de Saúde, realizada pela primeira vez na África em Maio de 2013.

O evento é realizado no âmbito do Fórum de Cooperação China-Africa (FCCA) e tem a Comissão Nacional da Saúde e Planeamento Familiar da China, antigo Ministério da Saúde, como entidade organizadora. O conjunto de todos esses encontros estabeleceu as bases para uma colaboração Sul-Sul contínua entre a China e os países africanos para enfrentar os desafios mais urgentes em matéria de saúde.

Distributed by African Press Organization on behalf of the Ministerial Forum on China-Africa Health Development.

Powered by WPeMatico

Share
This entry was posted in African News. Bookmark the permalink.

Leave a Reply